Entre fogueiras e fogueteiros, Paraíba pode evoluir sem perder a chama da tradição

0
26
fogueira de são joão

Eu tento, mas não consigo acompanhar o instinto criativo do roteirista deste Brasil hodierno (agora bateu pesado o hodierno aí, né revisor?).

É muita distopia pra um canto só!

“Pense num absurdo, no Brasil tem precedente!”, adaptando a frase célebre do ex-governador baiano Otávio Mangabeira, sobre as peculiaridades baianas.

Leiam com atenção:

A Associação dos FOGUETEIROS da Paraíba promove um evento com Autistas e Pets sob a temática de UNIÃO.

Aí você maldoso, pessoa de pouca fé, descrente na humanidade quer começar a fazer chacota com isso, induzido pelo narrador aqui.

Percebam isso como um primeiro passo para a conciliação.

Pode até parecer trágico, mas é singelo.

Pode transparecer uma cilada tipo juntar galinhas na Toca da Raposa, mas também não é.
Um amigo cético logo gritou:

-Na prática é tipo me dar um colete à prova de balas para brincarem de tiro ao alvo!?!?!
Calma, jovem.

O gesto, realmente é nobre e tem espírito pacificador.

Inclusive, distribuíram abafadores para crianças autistas e “serhumaninhos de patas”.

Repito, gesto bacana, legal, empático.

Sem arrudeios, o que esse estrato e outra parte social quer é a extinção total dos foguetórios com ruídos.

Sem concessões

E, coisa rara, no mundo do business, onde dinheiro sempre fala mais alto e ponto, a conciliação se avizinha.

O setor se comprometeu a se adequar, fazer cumprir e ser auto fiscalizador do cumprimento das Leis Estaduais e Municipais (com vigor previsto para os próximos meses) que banem completamente a venda de fogos de artifício com ruídos.

Um raro, raríssimo exemplo de acomodação de interesses de maneira harmoniosa e bom pra todo mundo.

Por um lado o setor tradicional de fogos e pirotecnia, histórico, cultural no Brasil, que emprega e gera renda a milhares de famílias readequa sua atividade.

Por outro um estrato social e sociedade em geral se livram da poluição sonora e quase pandemônio causado pelo espocar de fumaça a esmo.

Todo mundo se diverte. Fica bom pra todo mundo.

Fogueiras liberadas

Se acima, apesar do enunciado quase cômico do evento reunir algozes e vítimas, o desfecho é aliviante, no caso abaixo não…

Nesta mesma era folclórica na bela Paraíba, em plena Semana do Meio Ambiente, foi a data “ideal” para liberar geral as fogueiras estado adentro e afora.

A princípio, por ter caducado, extinto prazo de vigência, a Assembleia Legislativa revogou lei estabelecida na pandemia.

Lei criada, exatamente por conta dos graves problemas respiratórios oriundos da Covid 19.
Problema respiratório que, guardadas as proporções, registra índice alarmante no tempo corrente atual.

Tudo bem que venceu o prazo da Lei, mas a expectativa é que outra Lei surja para banir em definitivo a prática das cidades paraibanas.

E olha que quem está falando aqui é um apaixonado por fumaça subindo e calor aquecendo no São João.

Contudo, não vou “legislar” em causa própria, né?

Meus prazeres, mesmo que se tratem de costumes tradicionais, seculares, não podem se sobrepor ao bem estar coletivo.

Marcos Thomaz
*Este espaço é opinativo. As ideias e conceitos neles contidos não representam o pensamento e linha editorial do site, mas refletem a opinião pessoal do autor

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here