Copa do Nordeste mostra como a bola caladinha pune a soberba

0
32
CRB x Bahia

“A bola pune”.

Posso até ouvir o indefectível (receba um indefectível na caixa dos peitos, mate a redonda e saia com estilo) Muricy Ramalho proferir esta pérola, à beira do gramado, enquanto sacoleja os braços em desaprovação a alguma jogada de um comandado seu:

-A bola pune!!

E neste final de semana a pelota castigou com gosto…

Na ausência de rodadas das séries A e B do brasileirão, coube ao glorioso Nordeste fazer cumprir a máxima boleira.

Tudo bem que o domingão até reservou uma manhã de festa solidária no Maracanã, templo máximo do futebol, com estrelas se juntando para arrecadar recursos e mantimentos ao povo gaúcho

Mas, a parte da peleja, peleja mesmo, com glória, choro e ranger de dentes, coube a Copa do Nordeste, claro!

Primeiro, foi uma daqueles vinganças estilosas, a sangue frio…

Em suma, o Fortaleza aplicou uma famosa surra no Sport, em plena casa pernambucana.

Um espancamento digno, ou melhor indigno, de briga de rua.

Não aquela briga, agressão covarde, que torcedores leoninos promoveram contra os tricolores cearenses neste mesmo ano da graça nesta mesma competição!?!?

Não lembra da tocaia montada contra o ônibus do Fortaleza nos arredores da Arena Pernambuco?

Pedras, paus, paralelepípedos e todo azar de arma arremessados a esmo contra o ônibus da delegação cearense.

Daqueles exemplos de covardia, selvageria, barbárie extremas.

Como já dizia o filósofo Senhor Madruga, digo Seneca: “A vingança nunca é plena, mata a alma e envenena”.

Ela veio em doses cavalares de penitência, em campo, na bola, um vareio.

Como um rolo compressor, o Fortaleza esmagou o Sport em 15 minutos do primeiro tempo. 3, 4 a zero, avassalador, implacável.

Já o outro fenômeno nordestino do mundo da bola tem ar de quase milagre.

O CRB foi a Salvador eliminar o poderoso Bahia, da grife City.

-É da shoppee. City da Shopee– grita o outro.

Que seja, mas com orçamento mais de dez vezes superior aos alagoanos, o esquadrão baiano viu a vaga na final da maior competição regional do Brasil ir pro brejo, digo pro Dique do Tororó.

O mesmo Bahia que ano passado produziu peças e mais peças, memes a rodo contra o rival, Vitória atropelado de 6 pelo CRB na série B…

Bem, o Vitória, na ocasião terminou campeão, já o milionário Bahia agora eliminado e caminhando pra mais um ano sem títulos nesta nova fase internacional.

É, mestre Muricy, nem só a bola pune, os Deuses da Bola também são inclementes com a soberba e arrogância.

O mundo gira e a bola também aqui em campos nordestinos.

Foto: EC Bahia

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here