Exclusão digital no Brasil: 25 milhões ainda estão fora da internet

0
26
aplicativos de mensagem, internet, plataformas digitais, aplicativos, e-mail, redes sociais

A internet faz parte da vida de milhões de brasileiros, seja para trabalhar, estudar, se comunicar ou se divertir. Mas será que todos têm acesso à rede mundial de computadores? E quais são as diferenças entre as regiões e os níveis de escolaridade dos usuários?

O IBGE divulgou hoje os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Contínua sobre Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) referentes ao ano de 2022. A pesquisa mostra que o uso da internet no Brasil aumentou, mas ainda há desafios a serem superados, como os 25 milhões de brasileiros que estão fora da rede mundial de computadores.

Mais de 160 milhões de pessoas usaram a internet em 2022

Segundo a pesquisa, em 2022, entre as 185,4 milhões de pessoas de 10 anos ou mais de idade do país, 87,2% (ou 161,6 milhões) utilizaram a internet no período de referência (últimos três meses anteriores à entrevista), ante 84,7% em 2021.

Isso significa que mais de 8 em cada 10 brasileiros acessaram a internet pelo menos uma vez nos três meses anteriores à entrevista. Esse número vem crescendo desde 2016, quando a pesquisa começou a ser realizada e registrou 64,7% de usuários da internet.

Área rural avança, mas ainda fica atrás da urbana

A pesquisa também revela que há uma diferença significativa entre o uso da internet nas áreas urbanas e rurais. Na área rural, o percentual de usuários da internet era de 72,7% em 2022, bem menor do que o das áreas urbanas, que era de 89,9%.

No entanto, a área rural vem apresentando um avanço maior do que a urbana nos últimos anos. Em 2016, apenas 33,9% das pessoas que viviam na área rural usavam a internet, enquanto nas áreas urbanas esse percentual era de 71,5%. Em 2021, esses números subiram para 67,5% e 87,8%, respectivamente.

O analista da pesquisa, Gustavo Geaquinto, explica que o uso da internet na área rural depende de vários fatores, como a disponibilidade, a qualidade e o custo dos serviços de conexão, além da renda e da escolaridade das pessoas.

Centro-Oeste lidera, mas Norte e Nordeste avançam

A pesquisa também mostra que há diferenças regionais no uso da internet no Brasil. A região com maior percentual de usuários da internet segue sendo o Centro-Oeste, com 91,9% em 2022, influenciado pelo Distrito Federal, que tem a maior proporção (96,6%) de usuários entre as 27 Unidades da Federação.

As regiões Norte (82,4%) e Nordeste (83,2%) permaneceram com os menores resultados. Isso tudo apresentando as maiores expansões entre 2021 e 2022: 6,1 pontos percentuais (p.p.) e 5,1 p.p., respectivamente.

Gustavo Geaquinto destaca que as regiões Norte e Nordeste têm características que dificultam o acesso à internet, como a maior proporção de domicílios na área rural, a menor renda média das famílias e o menor nível de escolaridade da população.

Escolaridade faz diferença no uso da internet

A pesquisa também revela que o nível de escolaridade das pessoas está relacionado ao uso da internet. Entre as pessoas sem instrução, apenas 39,4% acessaram a internet em 2022, percentual bem inferior ao dos demais grupos de escolaridade, como as pessoas com ensino superior incompleto (98,7%) e com superior completo (98,2%).

Gustavo Geaquinto explica que a escolaridade influencia não só a capacidade de usar a internet, mas também a percepção da importância e da utilidade da rede para as atividades cotidianas.

Conclusão

A pesquisa do IBGE mostra que o uso da internet no Brasil cresceu em 2022, mas ainda há desigualdades regionais e de escolaridade que precisam ser enfrentadas. A internet é um recurso fundamental para o desenvolvimento social e econômico do país, e garantir o acesso universal e de qualidade é um desafio para o poder público e para a sociedade.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here