Ministro bolsonarista do TCU adia pente-fino nos presentes de Bolsonaro – 10/07/2023

0
7

[ad_1]

Esta é a versão online da newsletter Pra Começar o Dia enviada hoje (10). Quer receber antes o boletim e diretamente no seu email? Clique aqui. Os assinantes UOL ainda podem receber dez newsletters exclusivas toda semana.

********

Joias das Arábias seguem sem dono. O Tribunal de Contas da União adiou a conclusão da auditoria em presentes recebidos por Jair Bolsonaro quando era presidente da República, informa a colunista Carolina Brígido. O caso é conduzido pelo ministro Augusto Nardes, considerado um aliado de Bolsonaro.

Houve dificuldades na intimação do ex-presidente, e a conclusão da auditoria foi adiada para junho, depois para julho, e agora nem tem data marcada. Em março, o TCU mandou Bolsonaro devolver as joias recebidas da Arábia Saudita, mas os presentes milionários ainda não foram incorporados ao patrimônio público.

Bia Haddad enfrenta a favorita de Wimbledon às 9h30. Tem sido um ano histórico, extraordinário, para o tênis brasileiro. Com as campanhas de Roland Garros e Wimbledon, que segue até domingo, Bia Haddad subiu para a 13ª posição no ranking mundial e garantiu R$ 8,5 milhões em prêmios até agora.

A paulista de 27 anos segue jogando em duas frentes em Londres. No torneio de simples, enfrenta nesta manhã de segunda (10) a atual campeã de Wimbledon, Elena Rybakina, pelas oitavas de final. O colunista Alexandre Cossenza aponta três razões para acreditar na vitória da brasileira sobre a tenista do Cazaquistão, que é agressiva e dita o ritmo desde a linha de fundo. Bia Haddad disputa o troféu também nas duplas, com partida hoje à tarde, pela segunda rodada.

Mercado vê economia crescendo após reforma. O banco Santander acredita que o PIB do Brasil pode subir 20% nos próximos 20 anos. Para a XP Investimentos, a indústria será a maior beneficiada com a reforma tributária aprovada na semana passada, na Câmara dos Deputados.

Com o pagamento de impostos simplificado para as empresas, são aguardados impactos positivos na Bolsa de Valores e também na vida dos consumidores. Os investidores estrangeiros podem ver atrativos no imposto unificado (o IVA dual) e no comportamento do dólar. Veja o que dizem especialistas consultados pelo UOL sobre as mudanças da reforma tributária. Para o colunista Tales Faria, a aprovação das novas regras está repetindo o clima de pacto político e econômico visto anteriormente no Plano Real.

Restam os traficantes no garimpo, diz Guajajara. Em Roraima, as operações para expulsar invasores da Terra Indígena Yanomami resultaram na retirada de grande parte deles, cerca de 82%. Os que ainda resistem são os mais perigosos, ligados ao narcotráfico e ao crime organizado, segundo a ministra Sonia Guajajara, citando dados do Ibama e da Polícia Federal.

Primeira ministra indígena do Brasil, Sonia convive com a pressão e as derrotas impostas pela bancada ruralista no tema das demarcações de terras indígenas. Ela afirma ter recebido do governo Bolsonaro um cenário de terra arrasada, com a Funai contando com apenas 1.300 servidores no país todo: há mais cargos vazios do que ocupados nas 39 coordenadorias regionais.

Caminhar cedo para o dia dar certo. Quando Maria Tereza de Oliveira Garzel não caminha por cerca de uma hora pela manhã, parece que nada naquele dia vai dar certo. Ela tem 85 anos e aproveita a companhia da irmã gêmea, Maria do Carmo de Oliveira Silva, na rotina de exercícios no condomínio em Curitiba. Maria Tereza tem neuropatia periférica e dificuldade com os movimentos, mas nem isso a desanima, revela reportagem de VivaBem.

Uma caminhada feita com orientação, distância e velocidade definidos vale como exercício físico. Exige do corpo coordenação, respiração para não cansar e estímulos do cérebro. Pode ajudar a emagrecer e ainda combate inflamações ligadas ao envelhecimento. As gêmeas paranaenses ainda aproveitam para colocar a fofoca em dia nas caminhadas. “A família diz que a orelha de todo mundo fica queimando”, brinca Maria do Carmo.

A entrega final, extrema, do corpo de Zé Celso. Para o dramaturgo José Celso Martinez Corrêa e seu Oficina, onde o teatro do ritual uniu orixás e deuses gregos, o corpo sempre foi sagrado. Em entrevista a TAB, ele disse que teve mais clareza sobre a sacralidade do corpo humano depois que foi torturado pela ditadura militar em 1974. No Oficina que exibiu o primeiro nu frontal em 1969, em cena da atriz Ítala Nandi, o corpo foi o grande terreiro da arte.

Reportagem de TAB acompanhou o ritual de transmutação dos artistas e admiradores que velaram Zé Celso ao longo de horas, no Oficina, na última quinta e sexta. Leia aqui. Aos 86 anos, ele teve mais da metade do corpo queimado num incêndio em casa, em São Paulo, e não resistiu. “A cena não é só no palco”, diz a cantora e atriz Karina Buhr. “É seu corpo atuando naquele momento, com as notícias do dia”. Zé Celso acompanhava as notícias, a peça Fausto, de 2022, fala de pandemia sob um governo de déspotas. Ele teria se divertido com a pornografia pura de algumas negociações em Brasília na semana em que saiu de cena, aos poucos, tragicamente. No domingo (9), o Fantástico exibiu imagens do incêndio e uma entrevista com Marcelo Drummond, viúvo do dramaturgo.



[ad_2]

Source link

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here