Braskem diz que é da ‘sustentabilidade’ na COP-28 enquanto Maceió afunda

0
23

Enquanto a Braskem, notória pela exploração de minas de sal-gema em Maceió, integra o pavilhão brasileiro na COP-28 em Dubai, os contrastes entre seus projetos “sustentáveis” e a iminência do colapso em Alagoas chamam a atenção. Este blogpost explora a presença da Braskem na conferência climática, junto com outras empresas controversas, e a urgência da situação em Maceió.

Projetos “Sustentáveis” na COP-28

A Braskem marca presença na COP-28, em Dubai, ao lado de gigantes como Vale, Petrobras e Syngenta. Enquanto a Braskem destaca suas iniciativas “sustentáveis”, é impossível ignorar o histórico de outras empresas presentes. A Vale é associada aos trágicos rompimentos de barragens em Mariana e Brumadinho, a Petrobras busca explorar petróleo próximo à Amazônia, e a Syngenta enfrenta críticas por vender agrotóxicos proibidos pela União Europeia.

Comitiva Brasileira na COP-28

O Brasil enviou sua maior comitiva à COP-28, contando com 2,4 mil brasileiros inscritos, sendo aproximadamente 400 do governo. Com 135 painéis programados no Pavilhão Brasil, coordenados por diversos setores, o país busca mostrar seu comprometimento com a agenda climática. Entretanto, a presença de empresas envolvidas em polêmicas levanta questões sobre a efetividade dessas iniciativas.

Situção Crítica em Maceió

Enquanto a Braskem participa da COP-28, Maceió enfrenta uma crise iminente. Bairros como Mutange, Pinheiro e Bebedouro estão à beira do colapso devido à exploração mineral subterrânea. A mina número 18, com solo afundando a uma velocidade de 0,7 centímetros por hora, eleva a apreensão, especialmente após um novo abalo sísmico registrado na madrugada.

Alerta e Evacuação

A Defesa Civil de Maceió alerta para o aumento de tremores e o risco iminente de colapso. O solo na área afetada afundou 13 centímetros nas últimas 24 horas, aprofundando ainda mais a preocupação. Bairros evacuados emergencialmente em 2018, como Pinheiro, Mutange, Bebedouro, Bom Parto e Farol, estão novamente sob ameaça, evidenciando a urgência de medidas efetivas.

A presença da Braskem na COP-28 enquanto Maceió enfrenta um colapso iminente destaca as complexidades entre projetos “sustentáveis” e a realidade crítica. Este contraste ressalta a necessidade de um comprometimento genuíno com práticas sustentáveis e a urgência de ações para conter os impactos ambientais em comunidades vulneráveis.

Foto: Reprodução / TV Gazeta

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here