Minha Casa, Minha Vida terá ampliação para renda de até R$ 12 mil

0
17

Um dos grandes alvos desde o começo do governo Lula III foi a classe média brasileira.

Estrato social onde o PT teve grande dificuldade nas eleições e busca desde os primeiros dias agradar, mesmo que através de políticas públicas.

A nova grande iniciativa nesta direção é a habitação…

O ministro das Cidades, Jader Filho, afirmou nesta terça-feira (7) que o governo estuda lançar uma faixa do Minha Casa, Minha Vida para financiar imóveis de famílias que tenham renda familiar de até R$ 12 mil mensais.

Para se ter uma dimensão do impacto desta medida, a proposta representa uma elevação de 50% na faixa máxima permitida atualmente.

A declaração foi dada ao lado do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), na “live” semanal feita pela Empresa Brasileira de Comunicação (EBC) e transmitida nas redes sociais do governo.

“Estamos conversando com a Caixa, discutindo para a gente poder fazer uma faixa estendida até R$ 12 mil. Discutindo com a Casa Civil”, afirmou Jader Filho, sem anunciar data para o lançamento.

“Prometo que no próximo encontro que eu estarei aqui, já vou trazer essa novidade boa. De fato, nós precisamos atender a um maior número de família. Quanto mais famílias nós pudermos trazer, e elas realizarem o sonho da casa própria, é importante que isso seja atendido”, disse o ministro.

Jader Filho foi questionado por Lula sobre a possibilidade de estender o programa habitacional à “classe média” – hoje, o Minha Casa, Minha Vida na área urbana vai até a Faixa 3, voltada para famílias que ganham até R$ 8 mil mensais.

As regras atuais

As regras atuais do Minha Casa, Minha Vida foram publicadas em abril pelo governo. O documento prevê que 2 milhões de famílias sejam atendidas até 2026.
De acordo com a portaria, as linhas de atendimento do programa são limitadas da seguinte maneira:
• Até R$ 170 mil para novos imóveis em áreas urbanas e locação social, com recursos do Fundo de Arrendamento Residencial ou do Fundo de Desenvolvimento Social;
• Até R$ 75 mil para novos imóveis em áreas rurais, com recursos da União;
• Até R$ 40 mil para melhoria habitacional em áreas rurais, com recursos da União.
A portaria estabelece que os subsídios que serão concedidos com recursos da União estarão limitados às famílias que estão enquadradas nas faixas de renda urbano e rural 1 e 2.
Na Faixa 3, voltada para famílias de maior renda no campo e na cidade, não há subsídio. Isso significa que a família paga 100% do valor do imóvel – a vantagem está nos juros mais baixos e no prazo maior de parcelamento.

Confira as faixas a seguir:

URBANO

• Faixa 1: renda bruta familiar mensal até R$ 2.640;
• Faixa 2: renda bruta familiar mensal de R$ 2.640,01 a R$ 4,4 mil;
• Faixa 3: renda bruta familiar mensal de R$ 4.400,01 a R$ 8 mil.

RURAL

• Faixa 1: renda bruta familiar anual até R$ 31.680;
• Faixa 2: renda bruta familiar anual de R$ 31.680,01 até R$ 52,8 mil;
• Faixa 3: renda bruta familiar anual de R$ 52.800,01 até R$ 96 mil.

Veja mais: MEI pode ter novo teto de faturamento: entenda o que muda

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here