Vice-presidente do PT se solidariza com Bolsonaro e critica operação da PF: ‘Espetaculosa’

0
16

[ad_1]

Mesmo com críticas ao ex-presidente, político petista repudiou as ações ‘desmoralizantes por parte do Judiciário’; deputado comparou a diligência realizada pela PF com os ‘métodos da Lava Jato’

Lula Marques/Agência PTWashington Quaquá
Washington Quaquá durante a reunião do Diretório Nacional do Partido dos Trabalhadores, em 6 de julho de 2017

O vice-presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), deputado federal Washington Quaquá (PT-RJ), utilizou as suas redes sociais para publicar uma mensagem com tom solidário ao ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) após a realização de uma operação de busca e apreensão na casa do ex-mandatário, em Brasília. Na avaliação do parlamentar, trata-se de “ações espetaculosas e desmoralizantes por parte do Judiciário e da Polícia Federal” que, “não só não têm meu apoio, como têm meu repúdio”. O petista publicou a mensagem junto com a seguinte arte: “Parem de espetáculo!”. Quaquá comparou a operação realizada pela PF com uma metodologia similar à utilizada pela Operação Lava Jato contra o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e aproveitou para criticar o ex-mandatário filiado ao Partido Liberal. “Que Bolsonaro cometeu crimes e terá que pagar por eles, eu concordo e não tenho dúvidas”, diz Washington, antes de pedir “direito à defesa” e proteção da imagem do investigado. “Eu não concordo com métodos da Lava Jato e do estado policial, nem contra Lula (que era e é inocente) e nem contra Bolsonaro (que cometeu vários crimes), mas todos têm direito ao devido processo legal e à proteção de sua imagem antes de ter seu processo transitado e julgado! Não contem comigo para ter um peso e duas medidas”, finalizou.

No início de fevereiro, Quaquá foi duramente criticado por petistas e pela presidente nacional do PT, Glesi Hoffman (PT-PR), após o parlamentar publicar uma imagem em seu Instagram acompanhado do ex-ministro da Saúde do governo Bolsonaro, general Eduardo Pazuello (PL-RJ), durante reunião com o presidente da Petrobras, Jean Paul Prates. Na legenda da publicação, Washington pontuou que sabia das criticas que viria sofrer de “intolerantes da direita e da esquerda”, mas que havia gostado “da conversa e do tom civilizado do General”. “Quero inclusive com ele criar pontes de diálogo com os militares”, ressaltou. Após o compartilhamento, Gleisi foi ao Twitter e manifestou seu descontentamento ao considerar que “na vida e na política, tudo tem limites”. “Foto do nosso companheiro deputado Quaquá com bolsonarista Pazuello é desrespeitosa com o Partido dos Trabalhadores e ofensiva às vítimas da Covid”. Em resposta, o vice-presidente da legenda petista rebateu as críticas e publicou uma foto de um jumento, com a seguinte legenda: “De direita ou esquerda, jumento é jumento”.



[ad_2]

Source link

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here